sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

As imagens por vezes segredam-nos...


Herança de Solidão 
(Pateira de Albergaria, 08 de Outubro de 2008)

Imagens silenciosas, cândidas, serenas... por vezes soltam a voz e estabelecem connosco uma relação forte, como que inseparável. Tal parece ter acontecido nesta "Herança de Solidão" que estabeleceu uma relação forte, inequívoca, com uma rapariga virtuosa, sensível... cúmplice...

... e uma da outra passaram a fazer parte...
como que de uma dupla metáfora se tratasse!

À Marta Ferreira...
com um beijo e elevada estima...
josé m g pereira
Enviar um comentário